InícioCalendárioFAQBuscarMembrosGruposRegistrar-seLogin


Bienvenue à Académie Artistique de Monaco. Imagine-se realizando o maior sonho de sua vida, estudando artes numa das Academias mais conceituadas do planeta. A Academia Artística de Monaco lhe oferece os melhores cursos, com os melhores professores e ainda coloca à sua disposição os materiais mais modernos. Torne-se um músico, um pintor, um dançarino, um escritor ou um ator e deixe seus sentimentos e emoções fluirem através de sua arte. Bienvenue à l'Académie d'Art Monaco.



//REGRAS GERAIS
//GUIA DO PRINCIPIANTE
//A TRAMA
//MATRÍCULAS
//AVATARES



•Estamos em 1985. Dia 8 de Setembro, um Sábado de uma noite estrelada, céu sem nuvens e a lua cheia e iluminada. Hoje é o dia onde os alunos estão ansiosos para irem ao tão esperado Baile de Mascaras, onde estará ocorrendo no magnífico e decorado Salão de Festas. As temperaturas continuam amenas, mas um vento frio dá a sensação de um inverno gélido.



















Para tornar-se parceiro do AAM, logue na conta TeamPlay com a senha tp1234 e deixe uma MP para Soleil com as informações do seu RPG.

theSTARTINGline London Paradise name Evolution RPG Imperius RPG Marauders Orbis Non Sufficit



Todo o conteúdo do Fórum foi criado pela a Equipe. Gráficos criados por Monaco. Imagens retiradas de DeviantART, Google, Photobucket. Brushes retirados de Brusheezy! Agradecimentos ao Photobucket, hospedeiro de todas as imagens do fórum.


Compartilhe | 
 

 Dominique Gallagher Messerschimdt

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo 
AutorMensagem
Dominique Messerschimdt
Teatro - 2º ano


Player : Aleh
Mensagens : 28
Data de inscrição : 06/07/2009

MensagemAssunto: Dominique Gallagher Messerschimdt   Seg Jul 06, 2009 9:52 pm

Código:
OFF
Nome do Player: Alessandra [Aleh]
Idade: 19 anos
Cidade: Aju City
Já jogou fórum de RPG? ( x )sim ( )não

ON

Caractère
Nome Completo do Personagem: Dominique Gallagher Messerschimdt
Data de Nadcimento: 10 de julho de 1966
Nascionalidade: Irlandesa

Photoplayer/Avatar: Alexis Bledel

Famille
Nome do Pai: Edward Mortimer Messerschimdt
Nome da Mãe: Bridget Hewson Gallagher
Irmãos: -
Outros parentes: (Preencher somente em caso de existir familiares do seu personagem já cadastrado no AAM)


École
Ano na AAM: 2º ano
Curso: Teatro
Específica:

Qualificaté
Atributos:

• Criatividade = 4
• Inteligência =4
• Agilidade =3
• Destreza =4
• Lógica =3

História

.: A Pequena Sereia :.

Lembro-me perfeitamente da primeira peça em que atuei. Eu estava com 11 anos, na época, e já havia feito alguns comerciais locais, e anúncios de pasta de dentes. Era a primeira vez que a minha escola, em Dublin, faria um festival. Recordo da ansiedade que senti quando esperava meu nome ser chamado. As outras crianças permaneciam brincando, sem ligar para o que estava acontecendo. Enquanto para elas participar da peça era outra brincadeira, para mim era uma coisa muito maior que isso.A espera demorou extamente 7 unhas roídas, quando, finalmente, a professora falou: Ariel - Demi. Eu fiquei em choque, enquanto a professora olhava para mim sorridente. Eu havia ganho o papel principal!

Voltei eufórica para casa, e, durante as três semanas de ensaio antes da peça, não consegui fazr mais nada que não fosse ensaiar. Chegou ao ponto em que sabia todas as falas da peça, não só as minhas, como as dos outros personagens também,e, quando eles esqueciam - o que acontecia frequentemente - , era eu quem salvava a cena. Minha alegria apenas aumentava, enquanto todos diziam o quanto eu era boa, e, modéstia à parte, eu sabia realmente que era. Não, mais ainda, eu não apenas sabia que estava fazendo aquilo bem, mas, indo além, eu sabia que havia encontrado o que eu gostaria de fazer.

O grande dia havia chegado. Estava parada na porta do pequeno camarim improvisado, me vendo no único espelho de corpo inteiro que havia. Eu estava tão ansiosa que um torpor havia tomado conta de mim. Olhei para o lado, e vi as crianças brincando, jogando as contas dos colares para os outros caírem, pegando os peixes de mentira e fingindo pescá-los. Não conseguia saber como elas conseguiam não ficar nervosas, mas, acho que intrisicamente eu sabia que aquilo não era tão importante para elas quanto para mim. Enquanto continuava a repassar minhas frases mentalmente, senti uma mão tocando em meu ombro, virei rapidamente, a tempo de ver Liam. Liam era meu melhor amigo em todo o colégio, e, apesar da pouca idade, conseguia ser tão maduro quanto eu, para assuntos importantes. Felizmente, era ele que iria fazer o papel de Eric - o meu par - , e isso me fazia sentir mais aliviada.

-Você está com medo?- ele me perguntou, enquanto me via pálida.
-Não...- menti.
-Não precisa ficar com medo daquilo que ama...e é isso que você ama fazer, não ? É como minha mãe diz, se você ama uma coisa, não importa o que fizer, tudo vai acabar bem! - e, de repente, aquela frase fez o maior sentido para mim. Apesar de ser um daqueles chavões que todos sempre usam, por algum motivo, aquilo se encaixou perfeitamente, e, depois daquele momento, eu tinha certeza que iria me sair bem. Iria fazer certo, porque era aquilo que eu amava fazer, não havia como dar errado. E, com aquela injeção de ânimo, o sinal para que entrássemos em cena tocou.

A peça foi perfeitamente bem. Eu e Liam fazíamos o par perfeito. A platéia, no final, nos aplaudiu de pé, e, depois daquilo, a certeza de quem algo maior havia se aberto para mim, floresceu.


.: Pollyana :.

''She's a rainbow and she loves the peaceful life,knows I'll go crazy if I don't go crazy tonight

E finalmente eu estava vivendo o meu próprio conto de fadas. Tinha 15 anos, e, no meu aniversário, Liam apareceu de surpresa, enquanto ensaiava para Pollyana, uma peça que entraria no ar no teatro local. Ele chegou com um buquê de rosas e lírios. Nós havíamos ficado ainda mais próximo no decorrer de cada ano, era impressionante como éramos cúmplices, e o sentimento que eu nutria por ele crescia concomitantemente com a nossa amizade.

-O que é isso, Liam? - perguntei, enquanto ele me entregava o buquê, seu rosto tingido com uma cor coral.
- Flores...- ele pigarreou, a voz saindo rouca.
-Bem, isso é meio óbvio- falei, rindo.- Posso saber o porquê disso?- falei, inquisitiva. Liam, por sua vez, parecia estar passando mal.
-Eu vou dizer de uma vez! A verdade, Demi, é que eu quero ficar com você, e não apenas como amigo! Eu quero namorar com você!- as palavras daquele menino de 15 anos exerceram grande impacto em mim. Eu não tinha certeza de que eu sentia por Liam algo maior do que uma grande amizade, porém, achava que talvez, isso fosse o indício de que algo podia nascer dali.
-Liam eu....aceito!

E nosso primeiro beijo foi ali. No palco.

Em pouco tempo éramos o casal perfeito do colégio. Todos nos conheciam, e Liam havia potencializado o seu carinho e proteção para comigo. Ele era bastante ciumento, devo dizer, porém, estando com ele, trabalhando em casa, e passando meu tempo livre atuando, não havia muito o que fazer, então, eu não saía, o que fazia com que Liam não precisasse ter ciúmes de mim.

A verdade era que eu não sabia se amava Liam. Bem, de fato eu o amava, mas não do jeito que ele me amava. Ele parecia disposto a fazer de tudo por mim, fazendo planos, arquitetando o futuro, falando em onde iríamos morar, que ele iria atuar em todas as peças como eu par romântico, que nós seríamos felizes, com muitos filhos, vivendo em Dublin,e perpetuando as gerações. Todos os outros, todos os que viam isso, achavam que ele era extremamente romântico, e minhas amigas me invejam por isso, porém, havia alguma coisa em mim que achava que algo estava errado. Eu não conseguia me imaginar com Liam para sempre. Ao menos não sendo esposa dele ou algo do tipo.

Mas ele não pensava assim.

.: Sofrimentos do Jovem Werther :.

Romeu e Julieta. Aquilo era o que eu esperava. A peça que eu sempre aspirei fazer. E estava ali, nas minhas mãos, uma audição para a peça, que iria acontecer, uma apresentação única no maior teatro de Dublin. Liam disse que também ia tentar o papel, para Romeu.

Entrei ansiosa para a minha audição. A cena que havia escolhido era a do ato final, quanto Julieta descobre que Romeu estava morto, e, vítima de uma fatalidade eventual, tira a própria vida. Eu coloquei a minha própria vida naquela cena, as emoções me tomaram de um jeito que eu nunca havia visto, estava plenamente imersa no papel da personagem, e, naquele momento, eu não estava atuando como Julieta. Eu era Julieta. Não demorou muito para que eu soubesse que havia ganho o papel. Ver as lágrimas nos olhos dos diretores ea um indicador positivo. Saí daquela sala com os dias dos ensaios em mãos.

Liam, por sua vez, não havia conseguido. Eu nunca o vi daquele jeito. Estava irritado, ou melhor, irado. Batia na parede no anfiteatro,e, fez tanto escândalo, que foi convidado a se retirar. Não parava de dizer que eu iria beijar outro, que eu iria traí-lo, que aquilo não era certo. Tentou me convecer a desistir do papel, dizendo que eu era a namorada dele, que eu era dele, não poderia ficar com outro no palco. Começou a dizer que eu ia deixá-lo, e, ficou num estado de nervos que eu nunca havia visto antes. Nãp seria exagero que, naquele momento, eu estava com medo. Tentei acalmá-lo, e, por fim, disse que seria só uma vez, uma peça, e que eu não beijaria o ator que fizesse Romeu. Ele saiu sem ao menos me deixar em casa.

Ele me ligou momentos depois, pedindo mil desculpas, que aquilo não iria mais se repetir. Tivemos uma discussão, mas, o ensaio iria começar no dia posterior, e eu não queria que nada estivesse me minha cabeça, apenas queria que a personagem me tomasse, como havia conseguido anteriormente.

No dia do primeiro ensaio, finalmente, conheci o elenco inteiro. E nunca tinha visto um rapaz tão bonito quanto aquele que fazia o papel de Romeu. David era perfeito, em todos os sentidos. Era dois anos mais velho, estava no segundo ano da faculdade de Artes, ator profissional, carinhoso, engraçado. O que eu não sentia por Liam em 3 anos de namoro, sentia por David no segundo dia de ensaio. Eu percebia que ele sentia algo por mim também, e ,fazia de tudo para que ninguém percebesse, porém, aquilo era tangível.

Depois que eu acabava os ensaios,sofria para tentar dizer a Liam. Sempre ligava para ele, com o intuito de dizer que estava tudo acabado, porém, sempre adiava. Disse para mim mesma que no final da peça, eu iria dizer a ele, dizer que eu não namoraria mais com ele, que iria pra outra faculdade, que agora meu coração pertencia a David.

Eu e David estávamos nos vendo escondidos. Na véspera da peça, no último ensaio, todo o elenco, para comemorar, foi tomar sorvete numa lanchonete próxima ao teatro, e, foi ali que eu beijei pela primeira vez David, entretanto, ao abrir meus olhos, me deparei, em segundo plano, com o olhar de ira de Liam para mim. Ele armou um escândalo na lanchonete, bateu em David, tentou me ouxar pelo braço para ir embora, não parava de dizer que eu pertencia a ele, que eu era dele. Aquilo foi a gota d'água. Eu disse em alto e bom som que não o amava, que nunca o havia amado, e , se tinha alguém que eu queria ficar naquele momento, aquele era David.

Eu nunca vi Liam tão arrasado como naquele dia, como no momento em que disse que não o amava. Ele saiu, e meu coração se partiu. Voltei para casa aos prantos, porém, não iria deixar que aquilo me fizesse desistir da peça, afinal aquilo era meu sonho. Doze horas depois estava pronta para entrar no palco. David ficou comigo durante todo o backstage, e fazíamos planos para o futuro.

Todos os atos foram excelentes de se fazer, sem erros, todos estavam dando o melhor de si. No penúltimo ato, era a cena da morte dos amantes. E foi quando tudo acabou.

Liam entrou no palco, carregava com ele uma arma. Todos ficaram em choque, creio que alguns pensaram fazer parte da peça, porém, eu sabia que aquilo estava prestes a ser uma tragédia real. Liam não disse nada, exceto:

-Você não vai ser minha, mas também não será dele..- e, dizendo isso, disparou contra David, e, logo após, contra ele mesmo.

E foi quando tudo acabou.

A garota alegre e um tanto quanto despretensiosa que eu era se foi. Eu não conseguia mais ter uma vida normal, ter relações normais com as pessoas a minha volta. De repente eu passei a me concentrar na atuação e na escola, não gostaria mais de nada em minha vida, já bastava ter de lidar com todos os rumores ao meu redor. Fui ficado cada vez mais introspectiva, sarcástica, e afastada de todos ao meu redor. Com as minhas notas no colégio, eu poderia ir para qualquer faculdade do mundo, e eu, de fato, entrei na melhor faculdade de Dublin, entretanto,meus pais acharam melhor que eu ficasse longe de Dublin, em algum lugar onde eu pudesse ser eu novamente, um lugar distante para que eu comece uma nova vida.

E agora estou eu...um novo palco, uma mesma peça.


Última edição por Dominique Messerschimdt em Ter Jul 07, 2009 9:11 pm, editado 1 vez(es)
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Toulouse
Equipe


Player : Duda
Mensagens : 29
Data de inscrição : 21/06/2009

MensagemAssunto: Re: Dominique Gallagher Messerschimdt   Ter Jul 07, 2009 6:58 pm

Primeiramente, bem-vinda.
Lembrando que aos 17 anos não tem como a sua personagem estar no segundo ano, porque ela mal saiu do colegial, então corrija isso.

Sua histõria, pr outro lado, está incrível. Alguns erros de ortográfia, mas nada demais. Não tiram a emoção da vida de sua personagem. Lamento o final triste que escolheu pra ela, digo o meio, porque o final você vai escrever aqui, na AAM.

Dominique é agora uma atriz matriculada em Monaco.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
 
Dominique Gallagher Messerschimdt
Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo 
Página 1 de 1
 Tópicos similares
-
» Trees, Goats and Moons [Missão Externa, para Cameron, Dominique e Claire]

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
Académie Artistique de Monaco :: Principais :: Matrículas :: Fichas Fechadas :: Atores-
Ir para: